O que você nunca deve dizer em uma briga com seu filho

briga

Acabei de ouvir no supermercado uma mãe dizendo para um filho de 3/4 anos que estava dando uma birra querendo abrir uma caixa de chocolate: “Você é pior criatura que pode existir nesse mundo, cala sua boca agora se não eu vou te esmurrar.” Mas o murro chegou foi em mim e a minha vontade era de avançar na mãe e fazer ela se sentir igual ao filho dela estava naquele momento: a pior criatura da face da terra. Mas me segurei, integrei a minha raiva e num súbito de empatia me conectei com a dor daquela mãe, principalmente com a criança ferida dela. Quantas vezes não devem ter falado isso pra ela? E aí num momento de pura compaixão, cheguei próximo e disse: “Em alguns momentos pode ser desafiador trazer um filho ao supermercado, né? Mas ele é só uma criança que quer comer um chocolate. Tá tudo bem. Quer ajuda pra terminar suas compras?” Ela desabafou, disse que estava esgotada e que era muito difícil sair com criança. Se despediu e saiu puxando o filho pela mão.⠀

A minha vontade era de dar um abraço muito forte nela, chamá-la pra tomar um café e conversar sobre parentalidade positiva. Mas, foi o que consegui fazer e agora aproveito esse sensação que ainda está pairando no meu corpo pra escrever esse texto. 

ESCOLHA A DEDO AS BRIGAS QUE VOCÊ TERÁ COM SEU FILHO

Muitas vezes perdemos a cabeça e acabamos brigando com nossos filhos entrando em conflitos desnecessários. Mesmo sabendo que evitar situações como essas é bem difícil, algumas expressões, maneiras de conversar e agir devem ser fortemente evitadas. Eu sei que manter o equilíbrio emocional em meio de uma briga exige paciência e autocontrole. Mas lembre-se sempre de que você é o adulto e certifique-se de que todos os argumentos trabalham em direção à resolução do problema.

Então, se você é mãe/pai e está lendo esse blog, promete não chamar seu filho de terrível, impossível, e todos esses adjetivos tão cruéis? Se você não quer que ele realmente acredite nisso, te encorajo a NUNCA mais repetir nada parecido. Nossos filhos estão apenas aprendendo a ser humanos. Ainda não sabem regular as emoções, não tem uma parte do cérebro responsável por essa calibragem e estão conectados com seus desejos e necessidades. Conexão que muitas vezes, infelizmente, perdemos quando nos tornamos adultos. Nunca se esqueça: seu filho não é terrível, ele é apenas uma criança sendo criança. Assuma sua parte da equação do desafio de comportamento do seu filho e se controle (você é o adulto) para nunca mais dizer:

1) Briga começando com: cale a boca agora e me respeita! 

Nunca silencie seu filho dessa forma tão grosseira e desrespeitosa. Você pode ouvir e acolher sem necessariamente atender o que ele está pedindo sabia? Eu sou coautora de um livro e falo exatamente sobre a Empatia e o poder da escuta ativa na relação pais e filhos. Super indico a leitura, veja o link aqui!

2) Eu te odeio! Ou: Se você não fizer isso…não vou te amar mais.

Você realmente está falando a verdade quando diz essas frases? Não vai amar amis seu filho porque ele não comeu tudo? Desrespeito duplo: mentira e fazer chantagem pra seu filho comer além do que necessita.

3) Você é um mentiroso/bagunceiro/malcriado…nunca diga em uma briga

Nunca classifique seu filho, principalmente com defeitos e palavras pejorativas. Rótulos e insultos só causam sentimentos de mágoa e raiva. Essas palavras podem marcar seu filho e afetar significativamente seus relacionamentos e autoestima para os próximos anos. E como eu disse, o pior é que seu filho vai acreditar nas suas palavras e se sentir realmente mentiroso, por exemplo. E se ele acredita nisso, ele vai começar mentir, entende?

4) Você não devia ter nascido!

Ouvi há poucos dias de uma amiga, que uma colega nossa em comum vive falando isso com o filho dela. Ela o teve com 18 anos, no auge das amigas indo pra balada e se divertindo e ela vive repetindo pra ele: “Você acabou com minha vida, então agora, pelo menos se comporta.” Pelo amor de Deus, nunca jogue sobre seu filho essa bomba questionando a validade do direito da criança de existir. Essa expressão, quando implantada na mente de seu filho, pode voltar para assombrá-lo se ele tentar torná-lo uma realidade. Consegue imaginar a dor de uma criança/adulto com essa crença?

5) Você poderia tanto ser igual seu priminho, educado e caladinho.

Sabe a mensagem que você está enviando para seu filho: “Você não é bom o suficiente do jeito que é”. Seja outra pessoa, não gosto de você assim. Nossa, meu coração. Nós somos os principais desconectores dos nossos filhos com a sua essência.

6) Palavrões

Você quer que seu filho saia gritando palavrões sempre que brigar com você ou alguém? Então, seja o exemplo!

7) Se você continuar agindo assim eu vou sair e não volto mais.

Outra mentira. Pra que? Nunca dê ao seu filho uma razão para se sentir abandonado. Se você precisa sair para tomar um ar, faça isso. Em seguida, volte!

8) Saia já daqui!

Você quer um filho conectado e colaborativo ou totalmente contra a tudo que você pede? Seu filho precisa de um refúgio seguro para chamar de lar e um lugar confortável para descansar a cabeça. Seja o porto seguro que ele precisa! 

Sugiro anotar essas frases na geladeira, hein? MAIS AMOR E SEM FAVOR! Precisamos naturalizar o respeito nas relações mais importantes da nossa vida!

Gostou do artigo? Vai repensar o que fiz em uma briga com seu filho?

Não se esqueça de visitar as minhas redes sociais também! Lá eu posto conteúdos exclusivos: FacebookInstagramYouTubeWhatsApp

Sabia que tenho um livro? O Conectando Pais e Filhos 2 trabalha de forma direta e motivadora orientações para os pais na missão de educador e criar os filhos em um ambiente com relações saudáveis! Compre aqui!

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

contato@fernandateles.com.br