Como lidar com meu filho pré-adolescente?

Socorro! Meu filho tão bonzinho e educado agora não cumpre mais combinados, é sempre do contra, começou a reclamar e colocar defeito em tudo, vive entediado, briga o tempo todo com o irmão, só quer saber de celular e computador! O que eu faço?

Bom, esses são sinais de que o seu filho já não é mais aquela criancinha, pois está deixando a infância para trás e embarcando na pré-adolescência. Essa transição começa por volta dos 10 anos de idade, e se estende até os 14, quando começa a adolescência. E como lidar com filhos na pré-adolescência?
Lembra que os “terrible two” te tiraram do sério e você precisou de uma dose extra de paciência?

Bom, vamos recarregar então nosso pote? Prepare-se para exercitá-la mais uma vez. A fase que antecede a adolescência, é um momento em que os filhos estão passando por muitas mudanças e essa transição de “não sou mais criança, mas também não sou adolescente” traz muitos conflitos emocionais e relacionais e paralelo a isso, alterações físicas que os deixam hesitantes. E para a mãe é como se fosse um luto. Deixar seu filhinho na memória e ver crescer os pelos pubianos não é fácil. É uma despedida mesmo, com uma insegurança grande do que estar por vir. Soluções mágicas para lidar com essa fase? Não há! Caminhos mais conscientes e respeitosos que podemos trilhar? Com certeza:

  1. Conexão
    Pode parecer que não, mas nessa fase os pequenos precisam e querem atenção. Por isso, por mais que eles se fechem e se distanciem, é importante que os pais permaneçam próximos. Procurem saber sobre seus sentimentos. Aproveite os momentos que passam juntos, como à caminho da escola ou na hora das refeições, para conversar com seu filho. Pergunte sobre o seu dia, seus planos e interesses. Estreite o vínculo entre vocês e dando abertura para que ele conte algo que o está incomodando, se for o caso.
  2. Muita empatia, valide os sentimentos, sem menosprezá-los, são todos legítimos para eles.
    Na pré-adolescência tudo parece enorme, um probleminha vira um problemão. Uma nota ruim na prova, uma viagem que não deu certo, uma briga com um amigo, uma rejeição na escola, um “não” fora de hora. Tudo é vivido intensamente, como se cada momento fosse para sempre. Para você, tudo isso pode parecer bobo e exagerado. Mas é importante que você tente compreender que os hormônios do seu pequeno estão à flor da pele. Tente se lembrar dos seus dias de pré-adolescência e tenha um pouco de empatia. Minimizar os sentimentos e acontecimentos da vida do seu filho pode só piorar a situação, fazendo com que ele perca a confiança em você e deixe de contar o que se passa. Por isso, tente ter paciência e converse francamente, de igual para igual. Mostre que entende o que ele está sentindo. Mas também explique que logo esse sentimento vai passar e ele vai ver que isso que aconteceu não é o fim do mundo. Afinal, as experiências e frustrações são fundamentais para nosso amadurecimento, nos tornando mais fortes e resilientes.
  3. Faça reuniões de família
    Aproveite o potencial do seu filho e sentem juntos para definir as atividades, obrigações e horários dele. Isso fará com que ele se sinta incluído nas decisões de sua própria vida, estimulando a autonomia e a responsabilidade. Também vale apostar em um cronograma de rotina para vocês se organizarem. Lembrando que existem combinados negociáveis e inegociáveis, e que os limites são fundamentais para mostrar aos pequenos até onde eles podem ir. Isso colabora para que se sintam mais seguros e confiantes, estimulando o autocontrole e ensinando-os a viver em família e em sociedade.
  4. Mergulhe no mundo do seu filho, se interesse genuinamente pelo que ele gosta.
    Seu filho só quer saber de internet, vídeos e jogos, e você já não sabe mais o que fazer? Nessa fase é comum que os pequenos fiquem mais “seletivos” e se distanciem de coisas que antes gostavam. Por isso, desenvolver bons hábitos (de leitura, alimentação e saúde) é fundamental para que os pequenos tenham uma boa base, que vai persistir mesmo após essa fase da pré-adolescência e adolescência. Mas, durante este período, é legal descobrir e se envolver mais com os interesses do seu pequeno. Conheça seus youtubers favoritos, procure livros relacionados aos temas que ele gosta, descubra alguma atividade física ou aula extracurricular que ele se interesse. E lembre-se que simplesmente proibir determinadas coisas não é suficiente, pois nessa idade é muito difícil ter controle sobre tudo que seu filho faz. Por isso, conversar, se aproximar e se envolver é a melhor maneira de garantir a segurança do seu pequeno. E, ainda, encontrar brechas para incentivar o contato com bons hábitos e com conteúdos de qualidade nessa fase.
  5. Invista em tempo junto de qualidade
    A pré-adolescência é a fase onde tudo é “chato” e “um mico”. Mas não se engane com o jeitinho arredio do seu pequeno, ele pode não ser mais a criança fácil de lidar de outrora, mas, pode apostar, ele ainda adora passar tempo com você! Os momentos juntos são fundamentais nessa fase para fortalecer o vínculo e a relação de confiança entre vocês. Por isso, que tal propor um passeio de bicicleta? Ou irem ao cinema para ver o filme favorito dele? Ou assistirem ao futebol juntos? Afinal, os hormônios podem até estar a mil, mas não há quem resista a momentos de carinho e diversão junto de quem se ama, não é?

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin